Mogi Mirim: Sistemas de Educação são discutidos em encontro na Fatec

Mogi Mirim: Sistemas de Educação são discutidos em encontro na Fatec

Um encontro entre professores e alunos da Faculdade de Tecnologia (Fatec) Arthur de Azevedo com professores de faculdades dos Estados Unidos, na manhã de ontem, discutiu as diferenças e semelhanças dos sistemas educacionais nas instituições de ensino brasileiras e norte-americanas. Docentes de algumas faculdades americanas iniciaram a apresentação e Waldir Fernandes, do Centro Paula Souza, foi o responsável por apresentar o sistema brasileiro.

Estudantes da Fatec acompanharam as apresentações dos professores dos Estados Unidos (Foto: Everton Zaniboni)

As apresentações dos estrangeiros consistiram na explanação sobre a Educação no país americano, as cidades e história das instituições. Uma das diferenças entre o ensino no Brasil e nos Estados Unidos é que, diferente daqui, no país norte-americano não há universidades públicas, ou seja, escolas superiores que os estudantes frequentam sem pagar uma mensalidade.
Segundo a apresentação, a maioria dos recursos às universidades não vêm do governo, mas sim dos próprios alunos, através das mensalidades, e também da captação de doações junto à empresas e de ex-alunos. A excelência na Educação da maior potência do mundo é justificada pelos professores por conta da competição entre as inúmeras faculdades existentes no país.
O acesso à universidade deve ser universal e, para isso, não há prova ou qualquer outro tipo de seleção para o ingresso dos novos alunos. É necessário apenas ter 18 anos e ter concluído o high school, equivalente ao Ensino Médio, no Brasil. O valor dos cursos variam de 3,5 mil a 7 mil dólares por ano e não há limite de matérias para cada aluno cursar.
Essas diferenças na grade curricular foram o que mais chamou a atenção de Paul Sarantakos, professor de Justiça Criminal, Ciências e Serviços Sociais. “Aqui todos iniciam juntos e concluem o curso juntos, já lá não. Há várias opções de matérias”, disse.
Já Tamara Ponzo Battoli, professora de Inglês, disse ter ficado impressionada com os números investidos pelo governo do Estado, apresentados pelo representante do Centro Paula Souza e espera fechar um acordo de longa duração com a Fatec. Kristin LaTour aproveitou a viagem para tirar fotos e deverá mostrar para seus alunos antes de voltar novamente ao Brasil, em agosto.

Mais
Ainda ontem, no período da tarde, grupos de trabalhos debateram as áreas de humanas e exatas no ensino da Fatec. Hoje pela manhã, a comitiva de americanos conhecerá a Andrade Sun Farm Agro Comercial, o Projeto ICA, a Paróquia São José, a Sauber Beer e a sede da Banda Lyra. Já durante a tarde, outros dois grupos de trabalho debatem o ensino tecnológico, a relação da faculdade com a indústria e a pesquisa científica na Fatec.

Fonte: O Popular

Comentários no Facebook